Arquivos de Tag: memorial da resistência

Vídeo | Caminhos da Reportagem – Crimes da Ditadura | TV Brasil

10/10/2012

Continuar Lendo →

Anúncios

Evento | 06/10 | São Paulo | Sábado Resistente – Vinte Anos da Abertura dos Arquivos do DEOPS

Continuar Lendo →

Sábado Resistente destaca centenário de militantes | Brasil de Fato

21/09/2012

Apolonio de Carvalho, Rolando Frati e Maurício Grabois completariam, em 2012, 100 anos de vida; homenagem será neste sábado (22) no Memorial da Resistência, em São Paulo

Da redação

Será realizada neste sábado (22) mais uma edição do Sábado Resistente. O tema deste encontro será “Três vidas de militância: Apolonio, Frati e Grabois – 100 anos”.

Apolonio de Carvalho, Rolando Frati e Maurício Grabois completariam, em 2012, 100 anos de vida. Os três foram líderes políticos e ativistas contra as ditaduras, tanto na mais recente, iniciada em 1964, como também na de Getúlio Vargas durante o chamado Estado Novo. Também foram internacionalistas, cada um à sua maneira, e defenderam os valores e princípios da Democracia e do antifascismo. Continuar Lendo →

Eventos | São Paulo | Cinema da Resistência

O Memorial da Resistência tem procurado, por meio da sua programação, utilizar o potencial das diferentes manifestações artísticas para abordar os principais temas trabalhados pela Instituição – repressão e resistência políticas e direitos humanos.

Com o objetivo de utilizar o cinema de forma mais sistemática, o Memorial da Resistência iniciará, no segundo semestre de 2012, o projeto “Cinema da Resistência”, com a exibição de 4 filmes (1 sábado por mês, de agosto a novembro, às 14h), sempre seguidos de debate com o diretor e/ou outro colaborador para realização do filme.

Serão conferidos certificados de hora complementar para estudantes.

Acesse nosso site para se atualizar sobre nossa programação e os links abaixo para conhecer mais sobre os próximos filmes

25 de agosto de 2012, às 14h
Perdão, Mister Fiel (Jorge Oliveira, 2009, BRA, 95min.)

15 de setembro de 2012, às 14h
Verdades Verdaderas, la vida de Estela (Nicolás Gil Lavedra, 2011, ARG, 99min.)

20 de outubro de 2012, às 14h
Batismo de Sangue (Helvécio Ratton, 2006, BRA, 94min.)

10 de novembro de 2012, às 14h
Cabra Cega (Toni Ventura, 2005, BRA, 105min.)

Memorial da Resistência
Largo General Osório, 66 – Luz

Comissão da Verdade quer criação de memoriais em prédios onde presos foram torturados no Rio de Janeiro | Agência Brasil

13/08/2012 | 17h50

Isabela Vieira
Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro – A Comissão Nacional da Verdade quer que o governo do Rio de Janeiro tombe prédios e crie memoriais em locais usados pelo regime militar como centros de tortura de presos políticos. A informação é do coordenador da comissão, Gilson Dipp, e atende a reivindicação de organizações da sociedade.

A exemplo do Museu da Resistência, criado em São Paulo na antiga sede do Departamento de Ordem e Política Social (Dops), em 2009, o coordenador avalia que memoriais ajudam a contar a história do país. “De todos esses locais, os mais importantes, na nossa proposição, é que se tornem relíquias, quanta gente nunca ouvi falar da repressão militar?”, perguntou Dipp. Continuar Lendo →

Evento | 30/06 | São Paulo | Sábado Resistente

35 Anos da Prisão dos Ex-militantes da Convergência Socialista

O tema deste Sábado Resistente será dedicado aos 35 anos da prisão dos militantes da ex-Convergência Socialista, cidadãos que lutavam junto ao movimento operário pela derrubada da ditadura militar e pela legalização de um partido de trabalhadores que representasse e defendesse os interesses da classe operária.

Nesta tarde, no Memorial da Resistência, debateremos sobre o legado deste Movimento, assim como obteremos esclarecimentos sobre as ações que estão sendo movidas nas últimas semanas pelo Ministério Público Federal para desvendar as responsabilidades pelos crimes que o Estado cometeu na região, atendendo às determinações da sentença da Corte Interamericana de Direitos Humanos. 

Memorial da Resistência de São Paulo
Largo General Osório, 66 – Luz
Auditório Vitae – 5º andar

Programação Continuar Lendo →

Livro sobre ditadura provoca ‘encontro’ entre algoz e famílias de vítimas | Rede Brasil Atual

28/05/2012 | 9h12

Depoimento de ex-delegado reaviva dores, mas militantes defendem que ele seja protegido para “falar mais”. Para jornalista, Cláudio Guerra tem de ser “sugado” pela Comissão da Verdade

Vitor Nuzzi

São Paulo – O lançamento em São Paulo do livro “Memórias de uma Guerra Suja” proporcionou, indiretamente, o encontro de um algoz com familiares de algumas de suas vítimas. Baseada no relato do ex-delegado do Dops Cláudio Guerra, a obra fez reviver antigas dores. A assistente social Rosalina Santa Cruz participou do lançamento, no último sábado (26), e se emocionou ao falar com os jornalistas Rogério Medeiros e Marcello Neto, que colheram o depoimento do ex-agente da ditadura. Seu irmão Fernando Santa Cruz teria sido uma das vítimas jogadas no forno da usina Cambaíba, em Campos dos Goytacazes (RJ), local apontado como crematório de presos políticos assassinados. “Me veio novamente aquela dor da época que Fernando desapareceu. Este é meu irmão e isso é o que aconteceu no nosso país. Fiquei pensando, não ele (Guerra), mas como a ditadura usou as pessoas da forma mais cruel”, disse Rosalina durante o evento, no Memorial da Resistência, antiga sede do Dops paulista.
Continuar Lendo →

Evento | 26/05 | São Paulo | Os Desafios da Comissão da Verdade Frente às Novas Revelações do Livro “Memórias de Uma Guerra Suja”

Sábado Resistente acontece dia 26 às14h no Memorial da Resistência

Os crimes cometidos pela ditadura são denunciados há décadas e o País espera  que a Comissão da Verdade seja capaz de construir um relato definitivo,  encerrando essa fase violenta do Estado contra sua população. Periodicamente, surgem agentes da repressão policial militar para contar o que fizeram com os presos e com os desaparecidos, em particular. Essa história sem fim precisa de ações concretas e respostas contundentes  contra as torturas  e  os torturadores, para  que se possa virar a página deste triste capítulo de nossa história e para que nunca mais aconteça.

A última confissão desses crimes foi feita pelo  policial Cláudio Guerra em depoimento  a Marcelo Netto e Rogério Medeiros no livro “Memórias de uma guerra suja”. Sem rodeios, ele conta as muitas barbaridades cometidas pela repressão militar, inclusive com a incineração dos corpos de desaparecidos políticos, ao estilo dos nazistas de Hitler.

No Encontro do dia 26 de maio, o Sábado Resistente traz para o debate o jornalista Marcelo Netto, que por três anos investigou os fatos revelados, o deputado estadual e presidente da Comissão da Verdade Estadual Adriano Diogo e o procurador federal Sérgio Suiama para discutir o papel da Comissão da Verdade  frente a episódios como estes e para buscar respostas a muitas  das questões que inquietam familiares de desaparecidos políticos, militantes de direitos humanos e todos os interessados na construção de um futuro melhor para o País.

Nesse mesmo ato, será lançado em São Paulo o livro “Memórias de uma guerra suja”.

PROGRAMAÇÃO
14h: Boas vindas – Caroline Grassi Franco de Menezes (Memorial da Resistência de São Paulo)
Coordenação – Ivan Seixas (Presidente do Núcleo de Preservação da Memória Política)

14h15 – 14h45: Cláudio Guerra – fantasia ou realidade?
Marcelo Netto (autor do livro)

14h45 -15h15: Comissão da Verdade, um trabalho fundamental para o país
Adriano Diogo – Deputado Estadual e Presidente da Comissão Estadual da Verdade (SP)

15h15 – 15h45: O que se deve fazer com os fatos apurados pela Comissão da Verdade?
Dr. Sérgio Suiama – Procurador Federal de Justiça – Ministério Público Federal

16h00: Debate aberto  com o público

16h45: LANÇAMENTO do livro “Memórias de uma guerra suja”

Os Sábados Resistentes, promovidos pelo Memorial da Resistência de São Paulo e pelo Núcleo de Preservação da Memória Política, são um espaço de discussão entre militantes das causas libertárias, de ontem e de hoje, pesquisadores, estudantes e todos os interessados no debate sobre as lutas contra a repressão, em especial à resistência ao regime civil-militar implantado com o golpe de Estado de 1964. Os Sábados Resistentes têm como objetivo maior o aprofundamento dos conceitos de Liberdade, Igualdade e Democracia, fundamentais ao Ser Humano.

SÁBADO RESISTENTE
Dia 26 de maio, das 14h às 17h30

Memorial da Resistência de São Paulo
Largo General Osório, 66 – Luz Auditório Vitae – 5º andar

Fonte: http://www.cultura.sp.gov.br/portal/site/SEC/menuitem.71b090bd301a70e06d006810ca60c1a0/?vgnextoid=9daf3063b740b110VgnVCM100000ac061c0aRCRD&idNoticia=f5e5d31af2237310VgnVCM1000008936c80a____

Comissão da Verdade paulista discute revelações de Cláudio Guerra | Época

http://colunas.revistaepoca.globo.com/felipepatury/2012/05/24/comissao-da-verdade-paulista-discute-revelacoes-de-claudio-guerra/

24/05/2012 | 17h36

Por Felipe Patury

A Comissão da Verdade de São Paulo discutirá, no sábado, as revelações do ex-delegado Cláudio Guerra, que relata ter participado de execuções, atos terroristas e do sumiço de cadáveres durante o regime militar. O procurador federal Sérgio Suiama, que se dedica ao assunto, ouvirá o ex-delegado e analisará as implicações jurídicas das descobertas feitas pelas comissões da verdade do estado e da recém-instalada pelo governo federal. A versão de Cláudio Guerra foi registrada no livro “Memórias de uma Guerra Suja” dos jornalistas Marcelo Netto e Rogério Medeiros, que participarão da sessão. O debate ocorrerá no Memorial da Resistência, no Centro de São Paulo.

Araguaia não foi um episódio qualquer da história, diz Comissão de Anistia | Jornal do Brasil

http://www.jb.com.br/pais/noticias/2012/04/14/araguaia-nao-foi-um-episodio-qualquer-da-historia-diz-comissao-de-anistia/

14/04/2012 | 19h26

O presidente da Comissão da Anistia do Ministério da Justiça, Paulo Abrão, afirmou hoje (14) que a Guerrilha do Araguaia, que completou 40 anos no último dia 12, não foi um episódio qualquer da história do Brasil, mas sim um momento no qual houve um massacre direcionado a um conjunto de brasileiros resistentes em uma das maiores mobilizações militares.

A data foi lembrada durante o Sábado Resistente, ciclo de eventos realizado uma vez por mês no Memorial da Resistência de São Paulo. O evento é organizado pelo Memorial e pelo Núcleo de Preservação da Memória Política, para lembrar o período da ditadura militar no Brasil. Continuar Lendo →

%d blogueiros gostam disto: